Entenda tudo sobre cultura da inovação

A cultura, em suas várias formas, sempre foi um fator crítico de inovação. 

A cultura influencia a ação, mas não fornecendo os valores finais para os quais a ação é orientada, e sim moldando um repertório ou “kit de ferramentas” de hábitos, habilidades e estilos a partir dos quais as pessoas constroem “estratégias de ação”. 

Sabe-se que a inovação tem um impacto significativo no desempenho das empresas. Devido ao seu número e à parcela significativa da força de trabalho envolvida, as PMEs desempenham um papel crucial nas economias.

Assim, fortalecer os aspectos inovadores e o conhecimento das PMEs traz grandes oportunidades, pois a inovação é uma chave para a competitividade de longo prazo e promete ganhos adicionais em relação ao desempenho do setor privado e ao desenvolvimento econômico

Afinal, o que é inovação?

A inovação é definida como um componente obrigatório de competitividade que engloba o produto ou processo melhorado, uma nova abordagem de marketing e um novo comportamento organizacional nas práticas de negócios. Supõe-se que esses tipos de inovação melhoram as empresas iniciando a capacidade e adotando mudanças tecnológicas. 

A capacidade de inovação refere-se à capacidade acumulada de melhorar a tecnologia existente e de criar nova tecnologia, resultante dos diversos recursos internos e externos. Aplicado a produtos, processos, inovações organizacionais e de marketing, separadamente ou combinados, é considerado para expandir a capacidade geral de uma empresa para iniciar e acompanhar as mudanças tecnológicas.

Definindo cultura

A antropologia é o estudo do homem através do pressuposto da cultura, noção que inclui os pensamentos e ações tanto dos antropólogos quanto de seus sujeitos como variedades de um mesmo fenômeno. Como a invenção é de fato o aspecto mais crucial de nossa compreensão de outras culturas, isso deve ser de importância central para a maneira como todas as culturas operam. 

Em uma rede cada vez mais densa e em rápido desenvolvimento de interconexões e interdependências que caracterizam a vida social moderna e os vários “fluxos” (como o fluxo de capital, mercadorias, pessoas, conhecimento, informações e ideias, crenças e imagens) além das fronteiras internacionais, a cultura não está mais “amarrada” às restrições das circunstâncias locais. A globalização não destrói localidades: a experiência cultural é, de várias maneiras, “retirada” de sua tradicional “ancoragem” em determinadas localidades.

As crianças nascidas nas décadas de 1980 e 1990, chamadas de Geração Y ou Millennials, estão acostumadas a uma cultura de colaboração e compartilhamento diferente das gerações anteriores. Os millennials são mais propensos a colaborar entre fusos horários e distâncias geográficas e, como consumidores, estão mais interessados em serviços e experiências do que em propriedade. 

Nas arenas profissionais, surgiram grandes comunidades, frequentemente online, nas quais as pessoas colaboram, muitas vezes com mínima ou até sem troca de valor econômico direto e sem controles hierárquicos tradicionais.

A cultura é um conjunto de relacionamentos vivos trabalhando em direção a um objetivo compartilhado – não algo que você é, mas algo que você faz. Sentimos a presença da cultura de grupo dentro de empresas bem-sucedidas, equipes campeãs e famílias prósperas, e sentimos quando ela está ausente ou tóxica. 

Um código de cultura bem-sucedido consiste em três componentes: 

(1) como os sinais de conexão geram laços de pertencimento e identidade;

(2) como os hábitos de risco mútuo impulsionam a cooperação com confiança;

(3) como as narrativas criam objetivos e valores compartilhados;

A importância da cultura organizacional

A cultura ajuda a explicar o desempenho da empresa e é algo amplamente compartilhado por seus membros. É uma programação coletiva da mente que distingue os membros de uma organização de outra com base em valores e normas compartilhados. Muitas vezes, é a criação dos fundadores da empresa, mesmo antes que os membros optem por adotar seus valores. 

Embora as definições de cultura sejam diversas, é claro que a cultura é peculiar a uma determinada organização, seus valores de cima para baixo e suposições compartilhadas são evidentes nas normas comportamentais e experiências comuns de seus membros.

A cultura construtiva de uma empresa aumenta a cooperação dentro das unidades organizacionais e a coordenação entre estas unidades nas empresas diretamente, e pode indiretamente melhorar o desempenho de uma empresa. 

Criar uma cultura organizacional forte é uma ferramenta poderosa para influenciar o comportamento dos funcionários e melhorar o desempenho. As práticas de gestão de recursos humanos (GRH) podem ter impacto na cultura organizacional, e a cultura dominante pode influenciar a política e as práticas de GRH adotadas pelas organizações.

A cultura organizacional é “um conjunto de valores centrais, normas comportamentais, artefatos e padrões comportamentais que governam a maneira como as pessoas em uma organização interagem umas com as outras e investem energia em seus trabalhos e na organização em geral”.

Em ambientes relativamente estáveis, as empresas com uma cultura forte têm um desempenho mais confiável (menos variável), porque o consenso em torno dos objetivos e valores organizacionais característicos das empresas com cultura forte aumenta sua capacidade de explorar as competências estabelecidas. Em ambientes voláteis, no entanto, os benefícios de confiabilidade de culturas fortes desaparecem. 

A cultura organizacional também pode ser definida de forma diferente como “um sistema de valores compartilhados (que definem o que é importante) e normas que definem atitudes e comportamentos apropriados para os membros da organização como se sentir e se comportar”. Culturas fortes são definidas como “um conjunto de normas e valores que são amplamente compartilhados e fortemente mantidos em toda a organização”

O que é Cultura da Inovação?

A inovação é um precursor crucial da concorrência e gera riqueza no ambiente de negócios. No entanto, a aplicação da inovação não é fácil de abraçar sem ter uma cultura que encoraje a organização a inovar. A inovação ocorre quando as empresas motivam seus funcionários a compartilhar suas habilidades com o resto da organização. 

Como tal, valores, crenças e comportamentos são compartilhados pelos membros da organização de uma maneira que constrói uma cultura de inovação. Isso potencializa o desenvolvimento da empresa e a obtenção de novos conhecimentos que melhoram a inovação.

Uma cultura inovadora flexível nas PME é determinada pela baixa resistência à mudança e atividades altamente empreendedoras. A cultura de inovação permite que as PMEs identifiquem novas estratégias para a criação de novos canais, ao mesmo tempo, em que implementam novos métodos para vender um produto que tenha valor para os clientes.

Portanto, as PMEs podem obter uma vantagem competitiva como resultado da superioridade de sua cultura de inovação, quando se trata de melhorar o desempenho do produto, das estratégias de marketing, e atingir o desempenho desejável. Estudos mostram um vínculo sólido a respeito da relação entre cultura de inovação e marketing. Como tal, pode-se afirmar que as PMEs utilizam melhor a inovação de marketing em um ambiente de cultura inovadora.

Aspectos da Cultura da Inovação

Uma perspectiva cultural sobre inovação aberta (que é influenciada pelos valores da empresa, sistemas de informação gerencial, plataformas de comunicação, critérios de decisão de projetos, lista de avaliação de fornecedores e sua entrega etc.) que valoriza competência e know-how externos são cruciais para as práticas de inovação aberta, porque a abertura do processo de inovação começa com um mindset.

A cultura de inovação é uma cultura transdisciplinar com o objetivo de integrar de forma pragmática tudo o que é desejável, necessário, útil, viável e apropriado. Ela é considerada principalmente como um aspecto da cultura organizacional, onde a cultura de inovação social sempre define o contexto. 

Alguns fatores da cultura de inovação que são gatilhos de inovação de modelos de negócios:

  • redesenhar (redesign) em vez de ficar parado
  • experimentação em vez de reviravolta
  • lógica de serviço em vez de lógica do produto
  • economia circular em vez de linear
  • alianças em vez de disputas individuais
  • resultados em vez de indulgências 
  • tridimensionalidade em vez de unidimensionalidade

Uma cultura orientada para a inovação é um elemento-chave na inovação de produtos, serviços e até mesmo no modelo de negócios nas empresas. Se uma empresa pode mudar características culturais específicas, ela é capaz de assumir o papel de uma inovadora que muda o jogo e pode alcançar oportunidades de crescimento oferecidas por mercados emergentes.

Existem três dimensões de uma cultura orientada para a inovação: 

(1) valores compartilhados, como crenças coletivas;

(2) normas comportamentais, como valores claramente expressos na formulação da estratégia de uma empresa; 

(3) práticas ou artefatos visíveis, como histórias, rituais ou eventos;

Exemplos de cultura da inovação

Microsoft: agilidade como princípio primordial

Quando alguém entra na Microsoft de terno temos certeza que essa pessoa tem uma entrevista ou é consultor. O estilo casual é a característica mais visível das hierarquias flexíveis. Por trás disso está uma filosofia simples: uma empresa sem hierarquias rígidas é mais ágil. 

A Microsoft aprendeu com suas próprias experiências dolorosas: com o Windows Vista, a empresa se perdeu na armadilha da complexidade, a coordenação constante tornou o desenvolvimento cada vez mais complicado. A Microsoft respondeu com inovação organizacional. Já em 1999, a empresa foi radicalmente reorganizada. Muita burocracia e muito pensamento departamental paralisaram a capacidade de inovar naquela época.

Samsung: Liberdade de hierarquia para áreas criativas estratégicas

A Samsung tem um objetivo estratégico claro: “Um bom design é a maneira mais importante de nos diferenciar de nossos concorrentes”, disse Jong-Yong Yun, CEO de longa data. 

Em seu caminho de um fabricante barato para uma das empresas mais inovadoras do mundo, ele prescreveu uma espécie de terapia de choque criativa para a empresa: em vez de continuar fabricando os equipamentos mais baratos, Yun usou inovação organizacional e abriu centros de design em todo o mundo. Nestes novos produtos foram desenvolvidos.

Para dar acesso direto aos seus talentos criativos com a alta administração, ele estabeleceu um Diretor de Design. Isso possibilitou, pela primeira vez, que os colaboradores tivessem suas ideias ouvidas pela Diretoria Executiva. O que ainda era uma grande barreira à inovação era a cultura tradicional sul-coreana.

É bastante hostil à inovação empresarial e à mudança organizacional: a cultura não permite que os funcionários expressem livremente suas opiniões e ideias. Para superar essas barreiras, a Samsung implementou um tipo especial de inovação organizacional nos Centros de Design: os gerentes foram treinados em liderança de inovação. 

Este estilo difere da sede. Não há código de vestimenta nos Centros de Design. Cada funcionário é incentivado a falar o que pensa e contradizer os superiores sem medo de violar as regras culturais. Liberdade de hierarquia em áreas de inovação estrategicamente importantes. A cultura das unidades operacionais na sede da empresa continua sendo tradicionalmente sul-coreana.

Conclusão

A inovação é um pré-requisito para ter sucesso em um ambiente competitivo. Nas PMEs, a cultura de inovação é um construto importante que pode sustentar a inovação de produtos e fomentar estratégias de marketing.

Em primeiro lugar, a cultura de inovação é uma condição prévia para alcançar o sucesso organizacional, de marketing e gerencial em mercados competitivos.  Quando a cultura de inovação de uma empresa é forte, ela tem a capacidade de sustentar as estratégias de marketing e promover a geração de novas ideias e serviços para satisfazer os clientes. Além disso, a criação de uma cultura de inovação pode ajudar a desenvolver o processo de inovação e desempenho do produto.

A inovação de produto desempenha um papel crítico no desenvolvimento de novos produtos, eficiência de processo e vantagem competitiva sustentável, em termos de ampliação da participação de mercado. E também a inovação de produto tem uma relação significativa e positiva com o desempenho do mercado. A cultura de inovação estimula as PMEs a diferenciarem sua cultura organizacional e seus produtos de seus concorrentes. 

Compartilhe esse artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email.

    Artigos recentes

    Redes sociais

    Siga-nos nas redes sociais: