Gestão de equipes remotas: 7 dicas para obter o máximo de produtividade

Grande parte das empresas e profissionais de TI já adotavam o sistema remoto de trabalho. Porém, é fato que após março de 2020, quando todos tivemos que trabalhar de casa por conta do isolamento social, esse sistema se tornou realidade em empresas de outros segmentos.

Mesmo com suas inúmeras vantagens, os líderes precisam se adequar a esse novo sistema e nem sempre é fácil fazer gestão de equipes remotas. Afinal, para gerenciar equipes remotas com eficácia, é preciso saber equilibrar muito bem processos, equipes, tecnologia e pessoas.

Acostumados à gestão presencial, os líderes estão sendo desafiados a desenvolver jogo de cintura e a equilibrar diversos pratos enquanto sua equipe está espalhada por aí, é muito mais fácil gerenciar os membros dos times face a face. A liderança tem um papel muito importante para alavancar o desempenho dos profissionais e motivar a equipe. Ou seja, na gestão remota esse papel continua, só mudam os meios.

Mesmo após mais de 1 ano nesse novo sistema, alguns gestores de equipe ainda têm algumas dificuldades para gerir times remotos. Este artigo traz 7 boas práticas para que você, como gestor(a), pode fazer para extrair o máximo de excelência e produtividade da sua equipe.

1. Plano de Ação

O coringa da organização empresarial, certamente, é o plano de ação. Certamente, uma forma fácil de estabelecer regras e metas, o plano de ação deve ser uma prioridade para gestores de equipe.

O seu plano de ação deve contar metas e objetivos da empresa a curto, médio e longo prazo. Além disso, deve trazer tarefas as serem feitas neste período, quem serão os responsáveis por essas tarefas.

Da mesma forma, é preciso indicar no plano de ação quais as ferramentas que vão ajudar a equipe no cumprimento dessas tarefas e os resultados esperados de ação. Dessa forma, o processo de gerenciamento tem um respaldo de uma ferramenta de organização e, se perder, ficará mais difícil.

2. Comunicação

Para qualquer situação, uma boa comunicação sempre vai agir a seu favor. Ainda mais quando se trata de fazer gestão de equipes remotas. Do mesmo modo que esse é um fator primordial para acompanhar o desenvolvimento dos projetos.

É preciso escolher uma ferramenta que seja eficiente para reuniões e comunicações entre os membros do time. Bem como, definir dias e horários para reuniões de equipe para fazer um acompanhamento dos projetos.

O ideal é ter um momento para reuniões rápidas, de acompanhamento e outro momento com reunião geral da equipe para definir os próximos passos. Fora isso, as comunicações devem ser simplificadas por mensagens para dar agilidade ao trabalho.

3. Acompanhamento

Parte desse acompanhamento é feito pelas comunicações do andamento do projeto. Porém, o gestor de equipes remotas precisa olhar de perto e orientar cada colaborador de acordo com sua necessidade.

É preciso, também, cobrar e ficar de olho em prazos. Ao mesmo tempo que o gestor desempenha o papel de incentivador e ajuda os profissionais a cumprirem as tarefas e fazer uma autogestão do seu trabalho.

4. Relacionamento

Mesmo que seja mais difícil o contato pessoal no trabalho remoto, estreitar relacionamentos respeitosos e saudáveis é de grande valia para o trabalho como um todo.

Essa é uma forma de melhorar a relação entre gestor e funcionário. Ademais, quando as equipes ficam mais próximas, fica mais fácil pedir ajuda e se ajudarem mutuamente caso estejam em situação de crise.

5. Delegar tarefas

Uma das situações mais difíceis para quem está no comando de uma equipe é, sem dúvida, delegar tarefas. De uma maneira geral, as pessoas (principalmente as de nível gerencial) costumam ser muito controladores e nem sempre confiam que outras pessoas vão desempenhar as tarefas no mesmo nível de excelência que eles.

Como liderar de forma remota é mais difícil ter um controle, delegar tarefas e responsabilidades dá autonomia para os colaboradores e faz com que o trabalho ande solto. Além de destravar as demandas emperradas, a equipe aprende muito quando tem mais autonomia nas tomadas de decisões.

6. Rituais de escritório

Para dar aquela sensação de familiaridade, é importante que o gestor continue ou crie novos rituais para fazer com a equipe. Caso já houvesse algum tipo de ritual que era feito de forma presencial, como rodas de conversa, um café, alguma brincadeira ou ação divertida, é importante levar isso para o contato virtual e tentar fazer uma boa reprodução do ritual.

Caso esse ritual não exista, é importante criar um. Rituais dão a sensação de familiaridade e pertencimento, e deixam as equipes mais próximas. Se você ainda não tem rituais, seguem alguns exemplos:

  • Dar um bom dia para a equipe e incentivá-los toda manhã;
  • Cafezinho às 16h para comentar os processos;
  • Happy hour na sexta-feira;
  • Eventos em datas comemorativas;
  • Fazer uma refeição juntos por semana.

7. Resultados e feedback

Todo colaborador quer saber como está o seu desempenho e no que ele pode melhorar. Da mesma forma, saber qual os resultados dos projetos que eles estão engajados pode motivá-los a se dedicarem mais.

Por isso, é função do gestor de equipes manter o time informado sobre os resultados. Além disso, é importante não esquecer dos feedbacks, que podem ser feitos individualmente (quando for direcionado) ou para a equipe como um todo.

Nem sempre fazer gestão de equipes remotas vai ser fácil. Há muitos desafios a serem enfrentados. Porém, com essas boas práticas, o percurso pode ficar cada vez mais tranquilo.

Fez sentido para você? Então, compartilhe este artigo.

Compartilhe esse artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email.

    Artigos recentes

    Redes sociais

    Siga-nos nas redes sociais: