Banco de ideias: Como funciona e como implementar em empresas [2023]

Banco de ideias é um termo cada vez mais comum no mundo corporativo, especialmente em organizações que tratam a inovação como tema estratégico.

Ele se refere a um espaço onde colaboradores podem compartilhar e armazenar suas ideias e sugestões para a empresa.

Com o crescente interesse em inovação e a competitividade cada vez mais acirrada no mercado, os programas de ideias tornaram-se uma ferramenta essencial para empresas que buscam se manter à frente da concorrência.

De acordo com uma pesquisa da Accenture, empresas que implementam esses programas obtêm um aumento de até 33% no retorno sobre o investimento em inovação.

Com resultados tão expressivos, é essencial que as empresas passem a investir em um banco de ideias próprio para criar ciclos virtuosos de geração e implementação de novos projetos.

Se você quer saber mais sobre como implementar um banco de ideias em sua empresa, continue lendo este artigo. Vamos apresentar as melhores práticas para um programa de ideias de sucesso e como fazer a gestão de ideias de forma eficaz.

O que é e como funciona um banco de ideias?

Um banco de ideias é uma ferramenta que permite armazenar e gerenciar ideias e sugestões dos colaboradores de uma empresa, a fim de que possam ser analisadas e implementadas para melhorar processos, produtos ou serviços, os famosos 4Ps da inovação.

Esse conceito surgiu da necessidade das empresas de obterem inovação de maneira mais sistemática e ágil, incentivando o pensamento criativo e a colaboração entre os funcionários.

Além de impulsionar a criatividade e a inovação, os bancos de ideias podem aumentar o engajamento dos colaboradores, pois mostram que suas opiniões são valorizadas e podem gerar impactos positivos no negócio.

Por meio de um banco de ideias bem implementado, as empresas podem obter soluções para problemas internos, melhorar a qualidade dos produtos e serviços, aumentar a eficiência e reduzir custos.

E como funciona um banco de ideias? Basicamente, as ideias são cadastradas em uma plataforma específica, que permite o controle de informações como autor, data, descrição e nível de prioridade.

Em seguida, essas ideias podem ser avaliadas pelos gestores responsáveis e, caso aprovadas, podem ser executadas pela empresa.

Por que ter um banco de ideias?

A criação de um banco de ideias pode ser um grande impulsionador para o sucesso de uma empresa.

De acordo com a Harvard Business Review, empresas que implementam programas de inovação e gestão de ideias têm um desempenho financeiro 5,5% superior em relação a seus concorrentes que não investem em inovação.

Isso acontece porque a implementação de um banco de ideias permite que as empresas utilizem todo o seu potencial criativo e inovador dos colaboradores, o que promove maior produtividade e satisfação no trabalho.

Ele também ajuda a empresa a resolver problemas de maneira mais eficiente. Por meio da troca de ideias e da colaboração de diferentes áreas da empresa, é possível encontrar soluções criativas e eficazes para desafios internos e externos.

Sua empresa também vai identificar oportunidades de negócios e inovar em seus produtos e serviços, o que pode levar a um aumento no faturamento e na participação de mercado.

Case 3M

Um exemplo real de sucesso na implementação de um banco de ideias é a empresa 3M. A empresa, que é conhecida por sua cultura de inovação, implementou um programa de ideias em 1948, que acabou se tornando o famoso “Programa 15%“.

Esse programa permite que os colaboradores dediquem até 15% do seu tempo para trabalhar em projetos de sua escolha, desde que estes projetos estejam alinhados com os objetivos da empresa.

Essa iniciativa já resultou em diversos produtos inovadores, como as notas adesivas Post-it e o filme Scotchgard, e mostra como a implementação de um banco de ideias pode trazer resultados expressivos para a empresa.


Como criar um banco de ideias eficiente?

Criar um banco de ideias eficiente não é uma tarefa simples e exige bastante esforço e dedicação das organizações.

É necessário criar um ambiente que fomente a inovação e estimule a colaboração entre os próprios funcionários. Algumas dicas para a criação de um banco de ideias eficiente são:

  1. Defina o objetivo do banco de ideias e como ele será utilizado na empresa. Ter um propósito bem definido ajudará a orientar a estratégia e a tornar o processo mais eficiente.
  1. Estabeleça critérios claros para avaliar e selecionar as ideias. É importante ter uma metodologia para avaliar as ideias, de modo que as melhores sejam selecionadas para serem desenvolvidas.
  1. Crie um ambiente colaborativo que estimule a criatividade. As empresas devem incentivar a colaboração entre os colaboradores e promover a criação de ideias inovadoras.
  1. Utilize tecnologias que facilitem o processo de coleta e seleção de ideias. A plataforma QuikDev, por exemplo, oferece uma solução completa para a gestão de ideias, desde a coleta até a seleção e desenvolvimento das melhores propostas.

É claro que além de ter um propósito claro e uma metodologia para avaliar e selecionar as ideias, é fundamental que as empresas criem um ambiente colaborativo que estimule a criatividade e incentive a colaboração entre os colaboradores.

Nesse sentido, é importante que haja um líder engajado com a inovação, que possa encorajar os colaboradores a compartilhar suas ideias e, ainda, oferecer feedbacks construtivos sobre as sugestões apresentadas.

Também é essencial ter uma comunicação clara e eficiente, para que todos os colaboradores entendam a importância do banco de ideias e possam participar ativamente do processo.

No próximo tópico, vamos explicar um pouco mais sobre como estimular a participação de colaboradores nos bancos de ideias.

Como incentivar a participação no banco de ideias?

Até aqui, você viu como a inovação é fundamental para o sucesso das empresas em um mercado cada vez mais competitivo. Nesse sentido, criar um banco de ideias eficiente pode ser um diferencial para empresas que buscam se destacar.

Mas afinal, como incentivar a participação dos colaboradores nesse processo? Confira abaixo algumas boas práticas que podem ajudar:

  • Comunique a importância do banco de ideias e como ele pode impactar o sucesso da empresa. Os colaboradores precisam entender que suas ideias são valiosas e que sua participação é essencial para a empresa inovar.
  • Estabeleça um processo claro de coleta e avaliação de ideias, com prazos definidos e feedbacks transparentes! Os colaboradores precisam saber que suas ideias são levadas a sério e que serão avaliadas de forma justa.
  • Reconheça e recompense os colaboradores que contribuírem com ideias relevantes. Isso pode ser feito por meio de bonificações, promoções ou simplesmente reconhecimento público. Conheça o case do Prêmio OVNI para entender como isso pode ser feito.
  • Incentive a colaboração e o trabalho em equipe. O banco de ideias não deve ser visto como uma competição entre colaboradores, mas sim como uma oportunidade para todos contribuírem com suas habilidades e experiências.
  • Ofereça treinamentos e workshops sobre criatividade e inovação, para que os colaboradores se sintam mais à vontade para compartilhar suas ideias e desenvolver sua capacidade de pensar fora da caixa.

Adotando essas boas práticas, as empresas podem criar um ambiente propício para a geração de ideias e estimular a participação dos colaboradores no processo de inovação. E lembre-se: um banco de ideias eficiente pode ser a chave para o sucesso da sua empresa!

Como gerenciar as ideias do banco?

Um dos principais desafios na gestão das ideias é a sua organização e priorização. A literatura de negócios e os especialistas em gestão de inovação destacam a importância de estabelecer critérios claros para avaliar as ideias, a fim de selecionar as mais promissoras e maximizar o retorno do investimento.

Uma das metodologias mais utilizadas na gestão de ideias é a classificação por horizontes de inovação, que propõe dividir as ideias em três categorias, de acordo com o seu grau de complexidade e impacto:

Horizonte 1 (inovações incrementais, que buscam aprimorar produtos ou processos existentes); Horizonte 2 (inovações relacionadas à expansão de negócios ou à criação de novos mercados); e Horizonte 3 (inovações disruptivas, que envolvem a criação de novos produtos, serviços ou modelos de negócios).

Outra metodologia muito utilizada é a matriz de custo/benefício, que ajuda a priorizar as ideias com base em sua relação de custo-benefício.

Essa matriz divide as ideias em quatro quadrantes: baixo custo/alto benefício, alto custo/alto benefício, baixo custo/baixo benefício e alto custo/baixo benefício.

Dessa forma, é possível focar nas ideias que oferecem um maior potencial de retorno, com um investimento adequado.

Para aplicar essas metodologias e gerenciar de forma eficiente as ideias, é fundamental contar com um comitê de inovação experiente e bem treinado, que possa avaliar as propostas com base nos critérios estabelecidos e definir um sistema de gestão de ideias adequado, que possa auxiliar na coleta, avaliação e priorização das ideias.

Critérios de avaliação das ideias

É bastante importante ter em mente que os critérios de avaliação das ideias devem ser objetivos!

Eles podem variar de acordo com o contexto da empresa, mas alguns são comumente utilizados pelos comitês de inovação em que costumamos trabalhar.

Entre eles estão: o grau de inovação da ideia, sua viabilidade técnica e financeira, o potencial de mercado e de retorno sobre o investimento, a capacidade de diferenciação em relação aos concorrentes, a aderência aos valores e estratégias da empresa, a possibilidade de proteção da propriedade intelectual e a facilidade de implementação.

Seus times deve avaliar todas as ideias de forma justa e imparcial e, para isso, os comitês devem estar bem alinhados sobre o seu papel e a dinâmica de funcionamento do banco.

A utilização dos critérios objetivos como mencionamos pode garantir que as ideias selecionadas sejam realmente relevantes para a empresa e possam trazer benefícios concretos para o negócio.

Periodicidade da avaliação

O ciclo de avaliação e seleção de ideias no banco pode variar de acordo com a empresa e a dinâmica do processo de inovação.

Certifique-se de definir uma periodicidade para que as ideias submetidas não fiquem esquecidas no banco e para que as melhores propostas sejam selecionadas e desenvolvidas.

Por exemplo, algumas empresas adotam ciclos mensais, trimestrais ou semestrais, enquanto outras podem ter um processo contínuo de avaliação.

O que você deve sempre ter em mente é que o ciclo seja claro para os colaboradores e que haja um cronograma estabelecido para que as ideias sejam avaliadas e selecionadas em tempo hábil.

Banco de ideias na plataforma QuikDev

A QuikDev oferece uma solução completa para a gestão de ideias, desde a coleta até a seleção e desenvolvimento das melhores propostas.

Com a nossa plataforma, é possível criar um processo de gestão de ideias ágil e eficiente, que permite priorizar as ideias mais promissoras e maximizar o ROI da inovação.

Se você deseja saber mais sobre como a QuikDev pode ajudar sua empresa a gerenciar suas ideias de forma mais eficiente, entre em contato conosco para uma demonstração da plataforma.

Compartilhe esse artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp